Capítulo I



1º Capítulo

Um 3º Ano Perfeito

 

Você já imaginou se o seu cotidiano fosse visto por outros olhos? Se ele formasse um mundo completo e lunático, quase como um sonho que tomasse vida? Por exemplo, se você olha um filé suculento você pensa: “Que fome!” Eu penso: “Se eu comer isso minhas células gulosas vão evoluir e me deixar mais forte! Elevando meu nível de Gluton!” (Qualquer semelhança com um musculoso caçador de comida atrás do seu cardápio perfeito é mera coincidência.)

Enfim… E se eu disser que o mundo onde tem uma Scan que edita mangas para as pessoas é, na verdade, um esquadrão do exército? Ou melhor, vai se tornar… No momento eles estão no 3º ano da escola preparatória. Porque o exército? Bem… Por onde devo começar… Vamos voltar a 1.000 anos atrás quando vários demônios apareceram na Terra para lutar entre si e decidir seu próximo Rei (Qualquer semelhança com um garotinho loiro com um livro é mera coincidência.)

Essa luta durou anos… E como fruto dessa guerra um novo material surgiu na Terra. Esse material era a Raw. A humanidade, através desse material, aprendeu a criar uma substância alucinógena não corrosiva chamada Manga… Pelo menos ela não era para ser corrosiva… Durante muito tempo essa substância era feita com qualidade e precisão, dando aos clientes dela um produto de qualidade e saudável, que era amado por todos os seus consumidores. O problema, que algumas pessoas, viciaram nessa substância por causa de algumas amostras mal calibradas. E com isso os viciados se tornaram impacientes… Ao em vez das empresas diminuírem a velocidade de produção e controlarem a qualidade para evitar uma piora no vício da população, novas empresas se formaram, empresas essas que usaram do vício para lucrar. Essas empresas passaram a ser conhecidas como: FastScans.

Não se pode negar que essas empresas fabricaram MUITOS Mangas, o problema que a grande maioria, sem qualidade alguma. Alguns até tóxicos… Esses Mangas mal produzidos modificaram o DNA dos consumidores aos poucos, os mudando, modificando para algo “nojento”… Algo que foi chamado de “Leachers”.
Seres de corpo completamente escuro com tatuagens tribais roxas por toda a estrutura. Alguns possuem espinhos crescendo pelo corpo, nem todos possuem olhos. Esses antigos “humanos” não deixaram de desejar pelo Manga, aliás, o produto se tornou a fonte de sua força e poder. Quanto mais um Leacher consome Mangas, mais forte ele é. Apesar de sua grande maioria ser um monstro voraz, incontrolável e de temperamento curto, existem as exceções.

Por causa do surgimento desse ser demoníaco, as antigas empresas que criavam Mangas de qualidade decidiram assumir a dor das consequências das FastScans e se transformaram em exércitos para combater a rápida proliferação dos Leachers. O problema é que eles são poderosos, as várias instalações dos exércitos foram sendo dizimadas aos poucos por eles, como por exemplo: AnimaRegia, Si-Lence, Trinisete, entre outras. Até mesmo as grandes e antigas instalações então começando a sentir impactos profundos da quantidade dos Leachers, como a Chrono.

Então para que a humanidade não perca para esses monstros o exército começou a produção de novas instalações, cujo número de produção vem diminuindo pela falta de pessoal. Agora, voltando para a atualidade desse mundo paralelo, eu estou indo para escola com meu amigo gordinho, pervertido e louco (como a maioria das pessoas que conheço) Bego.

Sinceramente, ele tem muitos defeitos, mas quem não tem? Pelo menos ele é engraçado. A nossa escola é uma facção de certa maneira antiga, só para vocês terem noção, no nosso terceiro ano tem dois caras que são para lá de velhos. Um repetiu o ano, oito vezes, porque não queria se formar e ir para o campo de batalha… Por isso ele é chamado de Van, o Fóssil! O outro é um cara lerdo, mas tão lerdo, que repetiu o ano nove vezes por faltar às aulas! Não estou brincando! Ele saia de casa 6 horas e chegava à escola 12h30min! E a escola é cinco quarteirões da casa dele! Apesar de tudo ele é o líder do nosso grupo por causa da idade, por isso ele é conhecido como: JuaxXx, o LesmoBoss.

— Maldito, por quanto tempo vai ficar olhando o portão da escola? Virou o JuaxXx agora?

— Ah? Bego? Que… Já ia me esquecendo, vamos logo para sala de aula…

Bem… A nossa sala é bastante agitada se é que posso dizer isso… Nosso professor é um cara psicopata frenético, o Haseo Sensei. Extremamente habilidoso na arte do combate ele nos ensina praticamente tudo sobre como lutar em campo de batalha. Apesar de, às vezes, ele meter mais medo na gente do que tentando ser um bom professor…

Minha turma tem certas figuras que merecem ser comentadas. Uma grande figura seria o Ryu, apesar de ele ser mais novo do que eu, ele é pai! Sim, ele tem um filho. A filosofia dele diz que temos que gozar a vida o máximo possível pelo maior tempo que der! Tanto que ele se diz “imorrível” e “imatável” … Ele é um completo idiota, mas se for escolher alguém para ir para cima de um inimigo sem medo e causar a maior destruição possível antes do resto do pelotão, ele é a pessoa certa!

Outra pessoa que valha a pena citar é a Thais… Ou Felipe? Não sei… Porquê dessa dúvida? Bem… No primeiro ano um novo aluno surgiu, o Felipe… Ele era um monstro! Tirava as maiores notas na área da inteligência, ficava em pé de igualdade com os melhores na área do Exército e para complementar era o melhor da turma no Armazenamento (apesar de que esse não é grande coisa, a sala é uma bosta nisso). Mas como não é permitido que as mulheres atuem na área do Exército, deduzimos que ela queria fazer parte dele…  Bem, por causa do seu desempenho ela conseguiu a permissão, sendo a primeira de muitas que viriam.

Lembro até que foi motivo de comédia quando ela revelou sua identidade… Felipe chegou com o uniforme feminino e o primeiro a reparar foi o Shioon (falo dele daqui a pouco).

— Nossa Felipe, tu ta LINDA nesse uniforme de marinheira. – Disse Shioon enquanto fazia careta e quebrava o pulso em implicância.

— Você é burro Shioon? Eu sou mulher mesmo! E meu nome verdadeiro é Thais!

Nesse momento a sala ficou em silêncio, alguns olharam para ela e pensaram: “Foda-se, desde que continue fazendo sua parte estou pouco me fudendo para o seu sexo.”

Mas uma pessoa fez uma pergunta inteligente, apesar de não ser comum vir algo inteligente dele… O Ryu:

— Eu quero saber é o porquê de você decidir revelar isso agora, no último ano…

Bego soltou um sorriso maroto e sorrateiro, e respondeu o Ryu quase que de imediato:

— É porque os seios dela começaram a crescer e não tinha mais como esconder!

Antes mesmo de ele começar a rir do que tinha dito, Thais já tinha pulado na cabeça dele com uma voadora que o derrubou no chão em instantes! Nesse momento todo mundo riu da desgraça do gordinho que ficou gritando: “VOCÊ QUEBROU MEU DENTE!”

Bem… Isso aconteceu no início do ano, estamos no 3º mês já… Ah! Já ia me esquecendo! Shioon! Esse eu não tenho muito que comentar… Ele tecnicamente era para fazer parte da Inteligência, já que adora falar sobre leis, regras e afins. Mas suas habilidades no campo de guerra são invejáveis, então ele foi quase que proibido de ir para outra sessão. Ele tem um gosto bastante particular… Ele é “lésbica”… Tipo, ele não tem interesse por mulheres heterossexuais, ele gosta do “desafio” de conquistar uma boa lésbica…

Em falar de gosto sexual, não poderia deixar de citar uma pessoa que, apesar de não ser da nossa sala e sim do 1º ano. Ela está constantemente com o nosso grupo. Principalmente por causa do Bego, pessoa que, de certa forma (não sei por que), ela admira. Seu nome é Naga… Agora se me perguntar se é homem ou mulher não sei lhe informar… Só para você ter noção, ele(a) usa o uniforme masculino, mas diferente da Thais, é exatamente igual a uma garota! Sua voz é fina, seu corpo é esbelto, seu cabelo é cumprido o suficiente para cobrir a nuca e tem uns 1 metro e 50 cm!

Então demos o sexo dele(a) de: Naga-To-Pain. (Qualquer semelhança com uma escola que separa os alunos com notas… AH! Vocês já entenderam, não vou ficar falando isso toda hora!) Naga, todo dia, traz lanche para o Bego e conversa com o pessoal da sala. Muitas vezes implicado(a), mas nem por isso odiado(a).

Bem, já que falei do admirador(a) do Bego, vamos falar dele, já que eu só citei. O Bego ele tem um talento assustador em campo de batalha, diferentes do resto da turma, ele é o único que os professores acham que se deixar ele sozinho em um campo de guerra com 13 cartuchos de bala ele consegue enrolar sua vida útil na guerra por mais de um ano! Apesar de sua perversão ele sabe ser extremamente sério na hora do “vamos ver”, mas não espere a mesma seriedade quando ele encara meios de transporte… Quando isso ocorre, ele vira uma criança! Até hoje não me esqueço do “HELICOPTERINHO”!

E por último, não menos importante, o Dark. Esse cara é o “assassino” da sala! Ele adora pegar os oponentes um a um e matá-los a facada! (Apesar de isso ser somente na simulação, e os oponentes eram “BOTs”, robôs programados.) Ele é extremamente educado e gente boa, mas calado… Não é do tipo que puxa conversa, então acaba que quando ele sorri ou ri transmite uma sensação de que ele está planejando matar a todos na calada da noite…

Essas são as pessoas que eu me interajo mais na sala, há vários outros, com grandes talentos, habilidades, loucuras… E quem sou eu? Ah, ninguém de importante, apesar de narrar essa estória, eu sou somente: O Mascote. O motivo de eu ter essa “importantíssima” função é porque eu sou odiado por todos da sala. Simples não? O que? Mascote é para ser amado e não odiado? Isso é a GodHandS seu idiota! Não há ninguém amado aqui!

O dia na sala começou como todos os outros, o Haseo iniciando a aula com uma demonstração de golpes, o Dark sendo o voluntário da luta e perdendo no final, Ryu comendo e tentando falar com a Thais, Bego procurando pornô no celular, Thais prestando atenção na aula, Shioon cantando as mulheres que passavam no corredor, Van jogando cartas sozinho enquanto espera o JuaxXx aparecer para eles beberem e jogarem juntos… E eu? Dormindo…

O JuaxXx chegou em torno do 3º horário, um Record para ser sincero, geralmente ele chega no fim da aula. O Haseo que estava ensinando como quebrar o braço de um inimigo com o Dark, acelerou a aula e deslocou o braço do Dark e 2 segundos depois o colocou de volta… O Dark não gritou, só ficou pálido e voltou para sua carteira. Haseo deu dois socos no quadro e fez todo mundo prestar atenção nele… No caso do JuaxXx ele lançou uma carteira na cabeça dele e deixou por isso.

— Malditos! Prestem atenção! Geralmente eu só ensinaria vocês a lutarem e usar isso como desculpa para descontar meus descontentamentos. Mas eu tenho uma aula diferente que fui forçado a dar pelo pessoal da inteligência. Esperei o pedaço de merda do JuaxXx chegar só para isso.

O Bego levantou a mão esperando o Haseo dar permissão para falar. O professor acenou a cabeça em aceitação e o Bego disse:

— Eu me juntei ao exército porque tenho preguiça de pensar, se você vai dar essa aula posso ir embora?

Haseo sorriu, jogou uma faca na cabeça do aluno sem hesitação… Sorte que na ponta da faca tinha aqueles tampões de borracha para grudar na testa e não furar… Bego abaixou o braço e ficou quieto.

— Moleque, normalmente eu não daria essa maldita aula. Mas até nós do exército temos que ter um pouco de cérebro… – Ele deu uma olhada rápida para o Ryu e corrigiu. — Geralmente… Temos que ter… Enfim! Essa aula eu falarei sobre os Leachers! Nossos maiores inimigos! Muitas vezes o maior oponente pode se tornar um hamster se você tiver as informações corretas sobre ele.

O Van e o JuaxXx, pela primeira vez, decidiram prestar atenção… Não sei dizer o motivo, mas eles tinham um ódio… “Especial” pelos Leachers. O Bego estava com medo do Haseo, o Dark ainda estava pálido, mas prestando atenção… A Thais está na mesma… O Ryu ainda estava tentando entender a olhada do professor… Eu estava curioso.

— Inicialmente, a muito tempo atrás, não existiam os Leachers – Nesse momento todo mundo olhou para cara do professor como se ele estivesse drogado. – Eu falo sério! Seus malditos ignorantes! Antigamente o mundo de certa forma era pacífico. Mas sem entretenimento, então o governo decidiu criar algo magnífico chamado Manga, produto derivado da Raw. Eles eram uma forma de revelar sonhos maravilhosos as pessoas… Só que elas acabaram viciando nisso… E como o Manga não era barato, muitas empresas, conhecidas como Scans, começaram a entrar nesse ramo… Algumas não aguentaram o custo de produção, ou não fizeram sucesso… O problema foi o surgimento das Fast Scans… Elas não produziam Mangas de qualidade, mas faziam muitos e rápido. No vício de tal droga maravilhosa as pessoas não escolhiam a qualidade do Manga… Isso acabou fazendo com que, através de uma produção estragada do produto, os humanos começaram a sofrer mutações… Os transformando em Leachers… Existem muitos tipos, dos fracos aos com poderes sobrenaturais, a muitos que acreditam que ainda há partes no mundo onde Leachers desfrutam dos Mangas. E o maior objetivo da Inteligência é descobrir uma forma de restaurar as pessoas, ou de transformar os soldados de uma forma que eles fiquem mais poderosos, sem retirar a sanidade dos mesmos, usando a Raw…

Haseo pegou um copo debaixo da mesa, abriu o armário do professor, pegou um saco de sangue morno, e bebeu… O copo todo… Fez uma cara de satisfação e voltou para sala com um bigode rubro:

— Nada como um “tipo O” para molhar a garganta depois de falar muito…

— Eu sabia que você não era humano, mas beber sangue não é um pouco demais? – Peguntou o Ryu.

— Só bebo sangue porque tem um gosto metálico delicioso, só perde para tequila, mas ela é cara.

E nisso as conversas aleatórias da sala voltaram ao seu normal… Tirando pelo Van que fez uma cara séria para o JuaxXx, ele acenou em direção a saída. O JuaxXx concordou com um olhar depressivo e olhou o chão por um tempo antes de levantar e sair da sala com o seu amigo… Geralmente eu não sou enxerido, mas aquilo tinha um “cheiro” curioso… Decidi segui-los pelos corredores do local até a seção da inteligência… O Van bateu à porta de uma sala e chamou o professor, o Danser… Eu não sei muito sobre ele.

O Danser simplesmente pediu licença aos alunos e perguntou seco sobre o que era… Van simplesmente disse:

— Está na hora de você por eu e JuaxXx a par da situação das pesquisas não acha? O pessoal da inteligência não faria um pedido para o exército se não tivesse um plano de fundo…

— Eu não sei o que você está falando, tenho que voltar para a aula…

O JuaxXx o impediu o segurando pelo ombro e disse abatido:

— Danser… Antes nós éramos cinco… Você sabe que tudo que estiver ao nosso alcance para completar o sonho dela… NÓS TEMOS QUE FICAR FORTES, MALDITO! Só porque você seguiu em frente e se tornou professor não quer dizer…

Nesse momento o Van o interrompeu…

— Então Danser, abre a boca.

O Danser pareceu hesitante por um tempo, mas concordou em dizer:

— Estamos progredindo no projeto dos supersoldados… Não é completo ainda, mas já temos uma base. Utilizando os resquícios do conhecimento dos Mangas e da Raw nós estamos preparados para iniciar os testes em animais… Mas tem um problema…

— Qual?

— Não tem como saber se um animal está lúcido de suas ações ou não…

— Então porque não fazem testes logo com humanos?

— Isso deveria ser óbvio, não é Van? Não queremos criar mais Leachers… Já há muitos…

— EU TO POUCO ME FUDENDO! Se adiantará a pesquisa, EU me ofereço como cobaia!

— Não seja ridículo…

— Você está sendo ridículo! Ou você esqueceu?! O nosso pelotão foi iniciado pela Ricalna! Ela tinha um sonho… De dar liberdade aos humanos de andar por esse vasto mundo sem medo! Ela dizia que lá fora era lindo! Que iria nos levar para ver o mundo… Mas no nosso terceiro ano… Na nossa última prova no exército, Leachers invadiram a área… Ela ficou para trás para nos salvar. Porém somente nós três e a Tat sobrevivemos…

— Eu sei a história maldito… Não precisa me lembrar. Mas diferente de vocês dois, eu tenho consciência que no mundo que vivemos isso pode acontecer, tanto antes, quanto agora e como futuramente! Vocês tem que crescer!

Nesse momento JuaxXx deu um soco na cara do Danser e disse com uma voz irritada:

— Nós já aceitamos a morte dela, só não aceitamos que o sonho dela não se realize! Repetimos o ano várias vezes na intenção de sobreviver até que uma boa oportunidade apareça! E ELA APARECEU! Você tirará isso da gente? A chance de completar o sonho dela?!

— EU NÃO QUERO PERDER MAIS DOIS AMIGOS POR UMA IDEIA SUICIDA!

Os três pareciam que iam brigar ali, dava para escutar os alunos mexendo as carteiras, curiosos pelos gritos… Nesse momento eu andei para o meio dos três e disse:

— Bem, que tal vocês derem para o professor o tempo limite de até o final do ano de fazer as probabilidades de sucesso o mais próximas do 100%? E independente de conseguir ou não, vocês serão as cobaias?

Os três olharam para mim com uma cara de surpresos como se não esperassem minha interferência, aliás, de ninguém. O Van me perguntou com uma cara séria, como que se dependendo da resposta eu seria morto ali na hora:

— Desde quando você está ouvindo?

— Desde o início.

— Maldito, você…

Eu dei de ombros e sai andando, como se eu não tivesse feito nada de errado, olhei para trás com o rabo do olho e finalizei:

— Uma hora ou outra todo mundo saberia de tudo, mas aconselho a deixar as brigas para outra hora, vocês são tão inteligentes que estão brigando e gritando na porta da sala…

Fui embora de volta para a sala, Van e JuaxXx não voltaram naquele dia, e o Danser se retirou depois do 4º horário. A conversa que eles tiveram realmente justificava o “cheiro” estranho da atitude deles na sala, mas o que mais me incomodava era: Quem era exatamente Ricalna e o que aconteceu na última prova do exército 8 anos atrás?

É interessante pensar no que o passado das pessoas conta, o “cheiro” que esse passado possui varia de ser a ser, alguns passados têm um “cheiro” ácido que indica momentos fortes e perturbadores, outros simplesmente tem um “cheiro” doce, como se nada de ruim tivesse acontecido… Mas o “cheiro” mais curioso é o de menta… Assim como o passado do JuaxXx, Van e Danser… Esse odor é tão complexo, pois não é algo que você consegue suportar de início, tem que ir se acostumando, mas ou mesmo tempo é um “cheiro” agradável…

Vocês podem me achar estranho, mas nessa escola militar, se fosse para eu chutar eu diria que não há uma pessoa sequer que não possui um passado curioso. Eu por exemplo, diria que tenho o “cheiro” de uma… “Tulipa Branca”…

 

 

Este guia é uma iniciativa da GodHandS Fansub.