Capítulo V

Capítulo 5

Missões Secundárias

 

Na instalação do exército existe, no segundo andar, um quadro de avisos. Esse quadro, além do que seu nome diz que ele faz (dar avisos), também serve para mostrar informações de trabalhos para os alunos e professores. Apesar que são trabalhos banais como: “Cortar a Grama”, “Cuidar da Criança”, “Lavar o Carro”, etc; Dá para se arrecadar uma boa grana com esses afazeres, existem missões um pouco mais arriscadas que essas do cotidiano, como matar um Leacher barulhento do outro lado do muro, mas esse tipo de missão é para os professores.

Agora, existe as missões que cabe do professor escolher se faz sozinho ou leva uma equipe ou turma para completa-la. Essas missões são entregues diretamente a sala dos professores. Normalmente, o Haseo faz todas elas sozinho, e ele não discrimina por tipo de missão, valor da recompensa, ou quem a mandou (Seja um general ou um civil). Ele as faz na ordem de chegada e aplicação.

Porém, um dia, chegou uma missão que o fez abrir um sorriso enfadonho, que fez os seus colegas professores encolherem os ombros. Com o papel da missão em mãos ele se levantou, e saiu andando em passos largos e elevados, quase saltitando, em direção a sala dos seus alunos “prediletos”. Ainda faltava 15 min para o fechamento do portão e 20 min para o começo efetivo das aulas, mas ele sabia, que todos, eu disse: TODOS; Estariam lá. Só esperando pela chegada dele.

Dito isso, ele não poderia estar mais “correto”, quando ele abriu a porta da sala com seu largo sorriso demoníaco, ele viu todos os seus alunos na sala, em volta de um aluno específico. O primeiro a notar a entrada do professor foi o Naga, que nem da sala era, mas estava ali para conversar com o Bego, como sempre faz.

— Haseo-sensei? Não está cedo demais? – Perguntou ele com seus olhinhos confusos.

— Olá Naga, tudo bem com você? E, bem… Sim, está cedo. Mas é porque hoje é um belo dia e, por causa dessa alegria que me preenche, vim correndo compartilhar dela.

Com essa frase todos que estavam concentrados em um colega se viraram com uma cara assustada, então o Ryu gritou, Shioon, tremeu, Bego cobriu o Naga com os braços para protege-lo, Dark sumiu com sua presença e eu tentei “cheirar” o que estava acontecendo… Em vão…

— QUEM É VOCÊ E O QUE FEZ COM O HASEO?! – Gritou a turma em resposta ao “tudo bem com você”.

— Sou eu mesmo seus bando de retardados. Não posso nem perguntar como uma pessoa está?

— NÃO, NÃO PODE! – Novamente, todos juntos.

— E porque estão todos reunidos assim entorno desta carteira?

Nesse momento, todos recuperaram a compostura e abriram espaço para o Haseo ver o aluno de destaque… O JuaxXx… O que tem demais nisso? Bem… Como o Naga tinha dito… “Não está cedo demais?”.

— Eu não sei o que está acontecendo mais, será que é um sinal do fim do mundo? Tudo começou quando o Bryan chorou por eu ter bebido o toddynho dele… – Disse o Ryu em voz baixa. — E agora o Haseo cumprimenta os outros que nem gente e o JuaxXx chega antes da hora…

— É o fim do mundo… – Concordou o Bego.

— Se é ou não o fim do mundo, eu não sei malditos. Mas sentem-se. Tem uma missão que chegou em minha mesa que gostaria de fazer com essa turma.

Dito isso todos foram ao seus lugares arrastando os pés, quase já prevendo o inferno. O Naga já ia saindo da sala quando o Haseo o impediu e disse que ele iria pedir a assistência dele nessa missão também, como agente da inteligência vigente. Como tinha muita cadeira vazia, não foi difícil para ele achar lugar.

— Como estava dizendo… Chegou em minha mesa uma missão, especificamente, de busca e apreensão de algumas papeladas.

— Papeladas? – Indagou o Shioon.

— Sim, papeladas. Vocês sabem muito bem, que normalmente, não dou preferência a nenhuma missão, não importa de quem seja ela, ou como seja ela, mas essa me chamou a atenção por vários fatores… Primeiro: Ela foi colocada ONTEM à noite na minha mesa, quando o colégio estava fechado, no TODO da pilha de pedidos… Quem quer que tenha feito isso não estava querendo ser discreto… Segundo: O pedido em si é bastante interessante. Pegar a pesquisa perdida a 8 anos atrás na antiga instalação da inteligência da GHS. Primeira vez que recebo tal pedido de recuperação de material… Claro que existem pedidos semelhantes, mas nada tão específico… Terceiro: Esse pedido não veio da inteligência.

Nesse momento todo mundo deu um pequeno solavanco. Afinal, tudo o que foi dito indicava que teria sido um pedido da inteligência. E o Haseo percebendo a reação de todos abriu o seu largo sorriso e disse:

— Esse pedido veio de um idiota que nem tentou esconder o seu nome… Não é mesmo… JuaxXx?

Nesse momento todo mundo se virou para o aluno destaque do dia. Mas como esperado, nenhuma reação. Haseo só deu de ombros pelo corta clima e continuou.

— Como é uma missão requisitada por um querido aluno meu, não tinha como eu recusar, não é mesmo? Enfim… Para essa missão irei escalonar algumas pessoas para grupos distintos, porque, a antiga instalação, era mais de um prédio. Logo, teremos que nos dividir.

— E é por isso que você quer que eu participe, para administrar um dos grupos? – Perguntou o Naga com calma.

— Exato. Não esperava que eu deixaria algum dos dementes aqui presente fazer isso não é? Bem… Os grupos serão:

(Pegando o giz ele começou a escrever no quadro.)

Grupo A

Haseo

Lucas
Thaís
Van

 

Grupo B

Naga

Bego

Ryu

JuaxXx

 

Grupo C

Shioon

Dark

 

— Quem estiver primeiro em cada grupo irá lidera-lo. O Grupo C ele não será de apreensão, será de auxílio. Com entrega de munição, alimentos, verificação de geografia, posicionamento, etc, etc, etc.

— Porque nós que ficaremos com a função mais chata? – Perguntou o Shioon.

— Porque vocês são os mais rápidos em locomoção da turma. O Dark se quiser nem notado pelos Leachers é… Eu poderia recrutar outros membros da inteligência para administrar um terceiro grupo e alguns do armazenamento para fazer esse papel. Mas ai seria muito dinheiro e trabalho. Logo, quero que vocês se fodam.

— Pera… Dinheiro? Vamos receber?! – Perguntou o Van já alegre.

— Só o Naga, que não é dessa turma.

Todo mundo fez um “Ah” prolongado de desaprovação.

Apesar dessa pergunta e reação, o pessoal já sabia a resposta. Foi mais pelo teatro mesmo. Afinal, já é de conhecimento geral o sistema de serviço no colégio. Funciona assim: Se alguém da inteligência contratar 5 membros do mesmo setor, 2 do exército e 1 de armazenamento, somente o do exército e do armazenamento receberam pagamento. De acordo com o serviço prestado. O motivo disso é para incentivar os membros de cada setor ter, no mínimo, uma noção básica das outras áreas e evitar gastos em missões simples. Dessa forma todo o conjunto se mantem “a pá” das áreas de serviço e consegue avaliar bem a qualidade de um especialista. E, bem… A “Economia” é algo para manter os velhos bons costumes. Já que faz anos que não interagimos com nenhuma outra instalação ou realmente vemos algum tipo de comércio. Os produtos de consumíveis e duráveis são feitos pelo pessoal do Armazenamento e é, de forma igualitária, compartilhada pela população dentro dos muros do exército. Quem quiser mais do que foi distribuído, tem que pagar, e dinheiro só se consegue trabalhando, e para trabalhar tem que se alistar, em alguma área, estudar e aprender como pode ajudar o todo.

Apesar de só ter loucos dentro desses muros, esse sistema pensado a muitos anos por um militar de Chronus (Outra Instituição), funciona.

— Mas lhe perguntar Haseo… Eu ficarei em posição estratégica, ou em meio a campo de batalha?

— No meio Naga. Preciso de você dando os comandos diretamente, da mesma forma que estarei fazendo.

— E quanto a data que iremos, previsões meteorológicas, etc.

— Irei chegar lá. Acalme os cavalos, sendo apresado e perfeccionista assim é difícil me dirigir a você como homem. Seja um pouco mais músculos e menos cérebro, por favor.

Naga fez uma cara de “me poupe” e o Haseo apagou a lista de equipes do quadro e começou a escrever outras coisas com a mão direita e jogou o notebook com a mão esquerda para o Naga, que quase o deixou cair no chão. A maioria já prevendo o que ia acontecer, se preparou para cochilar. Os únicos que não se deram esse privilégio, tirando os dois estrategistas principais, foram a Thaís, Shioon, Dark e JuaxXx. (Que provavelmente ainda nem se tocou que está em sala de aula).

— A última vez que verifiquei, na região estará chovendo, confirme para mim.

— Sim senhor…

— Quanto a região, ela é plana, as antigas instalações, diferente da atual, ela é exposta, não submersa, então pegaremos chuva boa parte do tempo levando em conta o possível estado deteriorado dos edifícios.

— Terá muito Leachers?

— Como chegaremos lá de madrugada, sim, terá.

— Porque chegaremos lá de madrugada?

— O Antigo sistema de segurança da instalação só funcionava no horário de pico dos Leachers, levando em conta que a chance de pelo menos uns 25% dele esteja funcionando é alta, é bom ter o sistema do nosso lado.

— Qual é a distância entre os dois edifícios, e a distância entre o ponto móvel de ajuda, onde o grupo C ficará?

— As duas instalações tem cerca de 30 Km de distância uma da outra. Acho que uns 50 Km de distância de ambas seria o ideal. Principalmente que ficaria em uma região elevada, se não me falha a memória…

— Já verificarei com o satélite. Mas 30 Km para a assistência… É muita coisa, não? Seria em torno de 1h e meia para o reforço chegar, a pé…

— É por isso que será necessário a sua assistência em campo. Não pode ocorrer a necessidade de reforço, e caso ocorra, terão que saber durar.

— Entendo… Tudo bem que estaremos atrás de resquícios de uma pesquisa a pedido do JuaxXx, mas você tem alguma ideia de que pesquisa seja, como identifica-la?

— Essa é outra parte da sua missão… Teremos que averiguar tudo. A única pista é que é uma pesquisa voltada a transformação de Leachers em supersoldados.

Nesse momento um silêncio incomodo no local. Mas após alguns segundos, o debate recomeçou.

— Consegui achar o mapa geográfico da região, como você lembrava, o ponto a 50 Km de ambas as partes fica em cima de uma colina.

Concordando com a cabeça Haseo pegou sua faca com tampão na ponta e jogou na cabeça do Dark. Que acordou no susto, com um sinal de leve com a cabeça, o professor pediu para que acordasse o Shioon também. Que já estava babando.

— Quanto tempo vocês gastam para percorrer 50 Km?

— 50 min a 1 hora… – Disse o Dark ainda sonolento.

— 30 min na minha moto se não tiver problemas no meio do caminho. – Complementou o Shioon.

— Perfeito e… Dark, você faz cerca de 50 Km/h, a pé?

— Sim…

— Depois falam que eu sou um monstro…

— E você… Haseo-sensei… Quanto? – Perguntou o Dark lentamente.

— Uns 48 Km/h no máximo.

“Não tem muita diferença!” Pensou toda a turma.

A reunião durou até o fim do horário de aula, demorou uns 30 min até o Danser bater nossa porta perguntando pelo Naga, após explicar a situação por alto ele foi embora e o Naga permaneceu na reunião.

Após todo mundo ir embora fui falar com o Haseo.

— Haseo… Essa instalação… Ela fica onde você me encontrou não é?

— Isso ai. Quem sabe você de bônus não descobre algo sobre você mesmo. Pode ser útil no futuro… Ou sua ruína… Bem, para mim tanto faz, o importante é eu me divertir, como sempre.

— Obrigado por sua preocupação…

Ele deu de ombros com um sorriso sarcástico e foi embora com a papelada de confirmação do pedido, com todas as informações necessárias. E eu fiquei por um tempo olhando pela janela pensando… “O que irei comer o que no jantar?”